ACIDENTE»» Queda de avioneta causa dois mortos na praia de S. João da Caparica

Numa aterragem de emergência…


AS VÍTIMAS, UM HOMEM DE 56 ANOS E UMA CRIANÇA DE OITO ANOS, ERAM BANHISTAS
Duas pessoas morreram hoje ao serem colhidas por uma avioneta que aterrou de emergência na praia de São João na Costa de Caparica, a informação foi confirmada peal Autoridade Marítima Nacional.

"Temos a confirmação que duas pessoas que foram colhidas pela avioneta e morreram no local. As vítimas são um homem [de 56 anos] e uma criança, de oito anos", do sexo feminino, disse à Lusa o comandante Pedro Coelho Dias, porta-voz da Autoridade Marítima Nacional. A mesma informação foi confirmada e rectificada pela tenente Carla Morais, também da AMN.
Segundo a mesma fonte, os dois tripulantes da avioneta, saíram ilesos da ocorrência e já estão a ser ouvidos pelas autoridades, não existindo registo de mais feridos.

Aeronave é propriedade do Aeroclube de Torres Vedras, mas estava cedida a escola de aviação
O presidente do Aeroclube de Torres Vedras explicou que apesar de a aeronave ser propriedade daquele clube, está ao serviço da escola de aviação G Air. Ainda assim, adianta João Carlos Francisco, o aparelho não tem registo de anomalias.
“A aeronave nunca teve qualquer problema na sua história, é uma aeronave extremamente segura”, disse João Carlos Francisco. “A operação não tem a ver connosco”. “Estou também à espera de que nos dêem mais informações”, acrescentou.
Para a praia de São João na Costa de Caparica, em Almada, onde se deu a ocorrência [o alerta foi dado às 16h51m] foram deslocados 19 operacionais, 7 veículos, segundo informação disponível no site oficial da Autoridade Nacional da Protecção Civil. As operações de socorro estão a ser feitas pelo INEM e pelos bombeiros.
O INEM disse ainda que foi enviado um psicólogo para o local.
O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários explicou à Lusa que foi notificado do acidente, estando uma equipa deste organismo a caminho para se inteirar da situação e dar início à investigação.
No local estão quatro ambulâncias, uma viatura de apoio e elementos da Polícia Marítima, com o comandante Pedro Coelho Dias a referir que também já foi contactado o Centro de Busca e Salvamento Aéreo.
A operação está a ser coordenada pelo Capitão do Porto de Lisboa.

Share on Google Plus