SEIXAL»» Travessia do Rio Judeu com a maré vazia

Chegaram todos sujos mas muito contentes…

FORAM 60 OS AVENTUREIROS QUE CORRERAM PELO LODO NA BAÍA

O árbitro de segunda categoria nacional Paulo Barradas e o presidente do Alto do Moinho Aurélio Fernandes foram duas das presenças mais notadas na Corrida River Race do Seixal que levou os atletas a circundar as margens da baía mas tinha como ponto forte a travessia do Rio Judeu, com a maré vazia, entre a cidade de Amora e o Espaço Mulher situado nas imediações da Quinta da Fidalga, em Arrentela.

Os sessenta participantes, 42 homens e 18 mulheres, partiram limpinhos e chegaram completamente sujos mas visivelmente satisfeitos por terem cumprido o desafio lançado pelo GD Cavadas e pela empresa We Run que organizaram o evento com o apoio da Câmara Municipal do Seixal.  


“Entrei com muito avanço, depois foi só controlar”

Vítor Marques, de 40 anos, foi o primeiro a cortar a meta com mais de dois minutos de vantagem sobre o segundo classificado e no final revelou ao Seixalense o segredo da vitória. “A minha estratégia era entrar à frente porque a lama estava menos remexida. Como entrei com muito avanço, depois foi só controlar”, contou o aventureiro que normalmente faz corridas de estrada e montanha.


“Foi como andar de patins”

Patrícia Morgado, 29 anos, a vencedora no sector feminino, confessou ao nosso jornal que “esta foi a primeira vez que corri na lama e não estava à espera de vencer. De início foi muito complicado porque o pé enterrava mas depois fui percebendo que a melhor técnica era deslizar sobre a lama e tudo se tornou mais fácil, foi como andar de patins. Fiquei muito satisfeita, é uma prova pequena mas foi muito engraçada. Vou querer continuar”.


“A maior dificuldade foi o percurso na lama”

O árbitro Paulo Barradas, desta vez trocou o apito pelo prazer de correr numa competição diferente e não se saiu nada mal porque terminou em 5.º lugar. “Nunca tinha participado numa prova destas, mas gostei. Ainda ontem tinha feito uma de 5 km, mas fiz questão de estar presente nesta por ser uma novidade. A maior dificuldade foi naturalmente o percurso na lama, mas fiquei bastante satisfeito e estou na disposição de continuar”. 

“É interessante vê-los chegar”

“Esta é uma prova sui generis porque é exigida alguma resistência devido às dificuldades que os atletas encontram no lodo. É interessante vê-los chegar a rirem-se, cheios de lama mas muito contentes seguindo depois para a zona das mangueiras para se lavarem sempre dentro de um espírito de verdadeira camaradagem”, referiu o vereador do pelouro do desporto José Carlos Gomes que considerou uma iniciativa muito boa e acredita que para o ano será certamente ainda mais concorrida. “O movimento associativo deu mais uma vez uma grande alegria ao concelho e à Baía do Seixal”, disse com satisfação a finalizar. 








Share on Google Plus