INATEL»» “Os Africanos” revoltados com o que se passou na final

“Para mim basta, INATEL nunca mais”, treinador da equipa…

AGRESSÕES A MULHERES E CRIANÇAS NA BANCADA E AUTOCARRO VANDALIZADO E APEDREJADO

A Associação Desportiva e Cultural “Os Africanos” está completamente indignada e revoltada com o que se passou na final da Taça de Reconhecimento da Fundação Inatel realizada, no Estádio Municipal de Alcácer do Sal, contra o Bairro do Olival Queimado.

O jogo terminou com a vitória (4-3) da equipa que jogou em casa [situação que não se entende muito bem porque se tratava de uma final] mas foi preciso recorrer às grandes penalidades para se encontrar o vencedor porque no final do tempo regulamentar se registava uma igualdade a duas bolas. O Bairro do Olival entrou melhor e chegou ao 2-0 mas “Os Africanos” reagiram e conseguiram chegar à igualdade ainda antes do intervalo. Na segunda parte não se registaram golos.

Mas o mais grave não foi o que se passou em campo mas fora dele com “Os Africanos” a falarem de agressões a mulheres e crianças na bancada e no fim ao apedrejamento do autocarro e tudo isto perante a passividade dos elementos das forças de segurança.


Jogadores preocupados com o que se estava a passar na bancada

Mas, passemos então à versão dos acontecimentos narrados pelo treinador de “Os Africanos” António Pereira Lopes:
“Quando a equipa chegou ao estádio municipal de Alcácer fomos logo recebidos de forma bastante hostil com insultos aos nossos adeptos, esposas e filhos. No começo do jogo partiram para as agressões nas bancadas onde os nossos jogadores ficaram preocupados e condicionados pois estavam a ver os filhos e esposas a serem agredidos, sem que a GNR, presente no local fizesse algo para evitar, assim como os responsáveis da INATEL, também presentes”.


“Esposa do nosso capitão chegou a desmaiar”

E, prosseguindo, o porta-voz d‘Os Africanos’, acrescentou: “A INATEL de Setúbal é uma vergonha. O árbitro das meias-finais que nos arbitrou contra o Samouco foi o mesmo da final. Só na INATEL de Setúbal isto é possível. Depois do jogo, quando nos dirigíamos para o autocarro para regressar a Setúbal fomos atacados novamente pelos adeptos da outra equipa, após a GNR ter abandonado o local. Mulheres com crianças ao colo foram agredidas contando-se entre elas a esposa do nosso capitão de equipa, Vasco Gomes, que chegou mesmo a desmaiar sendo preciso chamar de novo a GNR”.

 


“A INATEL de Setúbal só quer é dinheiro”

Continuando a descrever o que na realidade se passou referiu ainda que a INATEL de Setúbal nada fez para evitar os incidentes, “só querem dinheiro. Ainda hoje mandaram um email a dizer que se quiséssemos fazer queixa dos acontecimentos teríamos de pagar 50 euros. Isto é uma vergonha. Para mim basta, INATEL nunca mais”.


“O meu filho de 6 anos disse-me a chorar, pai já não quero jogar futebol”

E, a finalizar deixou um “pedido desculpas a todos aqueles que nos foram apoiar e ainda por cima foram agredidos regressando a Setúbal num autocarro vandalizado e com vidros partidos por pessoas que não deviam andar no futebol. O meu filho de 6 anos disse-me a chorar, pai já não quero jogar futebol. É triste mas é isto o futebol da INATEL. É uma tristeza um jogo destes ser disputado em Alcácer por uma equipa de Alcácer”.

O nosso jornal contactou o Bairro do Olival para registar a sua versão sobre os acontecimentos mas não obteve resposta em tempo útil.  

Share on Google Plus