ARBITRAGEM»» Árbitros de Almada e Seixal confraternizam

De salientar a grande presença da juventude…

NAFAS ASSINALOU ENCERRAMENTO DE MAIS UMA ÉPOCA DESPORTIVA COM GRANDE ESPERANÇA NO FUTURO

O Núcleo de Árbitros de Futebol de Almada e Seixal assinalou neste dia de sábado, 10 de Junho, o encerramento das actividades desportivas relativas à época desportiva de 2016 /2017.

Pela manhã decorreu no Campo António Marques Pequeno, em Corroios, o já tradicional jogo de futebol entre solteiros e casados, que terminou com a vitória dos casados, por 2-1.

Depois, seguiu-se um almoço de confraternização que contou com a presença aproximada de 100 pessoas onde se incluíam naturalmente alguns convidados, nomeadamente Luciano Gonçalves, presidente da APAF; José Manuel Esteves, presidente do Conselho de Arbitragem e também em representação da AF Setúbal, por delegação do presidente que não pode comparecer devido a outros compromissos; Diamantino Pires, vice-presidente do CA; representantes dos núcleos e José Luís Tavares, sócio número um do NAFAS, entre outros.  

Bruno Esteves na qualidade de anfitrião deu as boas vindas a todos, deixou uma saudação especial para a muita juventude presente e passou à entrega de prémios aos associados que mais se distinguiram ao longo da época. Mas antes disso começou por falar do jogo realizado pela manhã entre solteiros e casados dizendo que “foi um dos jogos mais difíceis” da sua carreira. Depois chamou Venâncio Tomé, capitão dos casados para entregar o prémio de vencedor a João Marques, capitão dos solteiros. Contemplados foram também Alexandre Silva (guarda-redes, que jogou sem luvas) e José Frade [pelos solteiros] e Henrique Pires, pelos casados.

O prémio de assiduidade e testes escritos foi entregue a Gonçalo Gil por Manuel Antunes e José Peixoto e o de assiduidade da equipa a Vitalício Fernandes, José Frade e João Antunes, por José Luís Tavares, Romeu Franganito e Ilídio Rodrigues.

Bruno Esteves aproveitou para salientar as boas classificações obtidas pelos árbitros do NAFAS nos quadros associativos para a qual muito contribuiu o papel da CAT e dos seus membros: José Manuel Esteves, Manuel Antunes, José Peixoto e João Marques. 


JOSÉ LUÍS TAVARES: “Há quem diga que ao árbitros são pessoas normais, mas eu discordo”.

“Estou muito satisfeito por estar aqui porque reencontrei pessoas que já não via há muitos anos”, começou por referir o sócio n.º 1 do NAFAS que, de seguida, abordou uma situação bastante curiosa.

“Na tomada de posse, há menos de um mês, o presidente da Direcção fez algumas promessas, que está a cumprir. É importante dizer a estes jovens que o futuro da arbitragem está neles. O Bruno Esteves disse há pouco que os árbitros são pessoas normais, mas eu discordo. No meio em que vivemos, onde se fala tão mal da arbitragem, eu diria que se calhar somos anormais, por isso é que temos a coragem de estar na arbitragem”.  


JOSÉ MANUEL ESTEVES: “Tudo o que for escrito nas redes sociais fica sem resposta”

Com a frontalidade que se lhe reconhece, o presidente do Conselho de Arbitragem começou por pedir desculpa a Micael Rechena e Rui Ramos por se ter esquecido de referir os seus nomes na entrevista que concedeu recentemente ao site da AFS a propósito da sua indicação para o seminário de árbitros assistentes especialistas e abordou a necessidade que houve de proceder a algumas correcções nas classificações dos árbitros. Depois, salientou também a questão das redes sociais. “Tudo aquilo que for escrito nas redes sociais sobre os árbitros fica sem resposta, da minha parte. Mas, estarei sempre sempre disponível para falar com os árbitros. Todo o email que me for enviado terá resposta”, garantiu.



LUCIANO GONÇALVES: “Parabéns a quem conseguiu o objectivo e uma palavra de força e incentivo para quem não conseguiu”

“Para quem conseguiu os seus objectivos aqui ficam os meus parabéns e o pedido para que continuem a trabalhar. Para quem não conseguiu alcançar o que queria [e neste caso não posso esquecer o João Marques] fica uma palavra de força e incentivo. Ainda em relação ao João Marques quero dizer que esta é uma situação menos positiva da vida mas pela forma profissional como trabalha não tenho dúvidas que daqui a algum tempo vamos estar aqui a festejar a subida aos mais altos patamares da Federação, porque tem competência para isso. Aproveitem bem as férias e sejam felizes”. 


BRUNO ESTEVES: “Tivemos seis primeiros lugares nas classificações da AF Setúbal”

“Sou presidente há pouco tempo mas estou nesta casa há 21 anos e isso representa muito para mim. Para o NAFAS, o balanço desta época é positivo porque tivemos seis primeiros lugares na AF Setúbal, mantivemos a permanência de árbitros assistentes e um árbitro no Grupo C1 e tivemos apenas uma infelicidade, num lote de 50 árbitros”.

“Com as ideias que esta nova direcção quer implementar esperamos que surjam mais árbitros para conseguirmos também mais qualidade. E, neste caso lanço o repto para que cada um de nós traga um amigo ou amiga no próximo curso de candidatos. Acredito no futuro destes árbitros do NAFAS porque têm muita vontade e uma forma diferente de estar na arbitragem”.

“Estou muito satisfeito por termos connosco muita gente nova. Um dos objectivos desta direcção é crescer e um dos pontos-chave é a aproximação com os mais experientes. É importante que eles percebam que a arbitragem é uma missão especial e que só com muito esforço, dedicação e com os conselhos dos mais velhos conseguirão ter sucesso”.

“As perspectivas para a nova temporada são positivas porque temos um grupo jovem conhecedor do espírito do NAFAS e das leis do jogo. Muito sinceramente, acredito na qualidade deles”.





Share on Google Plus