INICIADOS»» Benfica 3 Nacional 0

Madeirenses dificultaram bastante na primeira parte…

ÁGUIAS SÓ DESPERTARAM DEPOIS DO INTERVALO 

O Benfica recebeu e venceu o Nacional por 3-0 em jogo a contar para a 3.ª jornada da fase de apuramento do campeão repartindo assim na Série Sul o comando da tabela classificativa com o Belenenses, só com vitórias.

O jogo não teve grande história e a vitória da equipa orientada por Luís Nascimento só peca por escassa face ao elevado número de oportunidades criadas e desperdiçadas sobretudo na segunda parte período em que atirou também duas bolas ao ferro da baliza contrária, uma por Gonçalo Gomes (37’) e outra por João Domingues (65’).

As águias começaram por assumir o jogo desde o início, instalaram-se no meio campo contrário e criaram a primeira situação de perigo aos 10 minutos num cabeceamento de Sandro Cruz, após cruzamento de José Gata efectuado do lado esquerdo do seu ataque.

O volume de jogo ofensivo da equipa da casa era enorme mas os madeirenses mostrando uma boa organização defensiva não davam grandes espaços e a bola não chegava nas melhores condições à zona de finalização das águias que atacavam muito mas não criavam grande perigo.

A resistência dos insulares porém só durou até aos 24 minutos, altura em que o Benfica se adiantou no marcador com um golo de Gonçalo Ramos, que apareceu ao segundo poste a cabecear, na sequência de um lance de bola parada (livre lateral).

A ganhar pela diferença mínima (1-0) ao intervalo, os benfiquistas entraram muito fortes no segundo tempo e em apenas três minutos criaram mais oportunidades das que haviam conseguido em toda a primeira metade do encontro.

A pressão era constante e o segundo golo, marcado por Tiago Araújo (42’) acabou por acontecer sem surpresa tal como o terceiro obtido por Úmaro Embaló (48’). Depois foi só gerir a vantagem até ao fim num jogo em que os madeirenses nunca conseguiram colocar em perigo a baliza benfiquista.




TREINADORES

Luís Nascimento (Benfica): “Na primeira parte tivemos muita bola mas fomos pouco objectivos na zona de finalização porque o adversário abdicou de atacar para defender com muita gente. Na segunda, em três minutos criámos mais oportunidades que em toda a primeira parte e acabámos por ganhar de forma justa”.



João Sousa (Nacional): “A equipa esteve organizada e procurou cometer o menor número de erros possível para dificultar o maior poderio do Benfica que foi superior e um justo vencedor. Trabalhar sobre derrotas não é fácil mas gostei da atitude dos meus jogadores”.


Share on Google Plus