Destinado a todas as modalidades e aos clubes da Margem Sul do Tejo

Destinado a todas as modalidades e aos clubes da Margem Sul do Tejo

Sport Video

Resource

Tecnologia do Blogger.

Facebook Pages

Our Topics

Destaques

JUNIORES»» Autocarro do Arrentela apedrejado no Lavradio

Ocorrência nada teve a ver com o jogo…

Grupo de arruaceiros causa dois feridos e muitos vidros partidos

A equipa de juniores do Atlético Clube de Arrentela que se preparava para regressar a casa no final do jogo que disputou com o Desportivo Fabril no passado sábado a contar para o campeonato distrital da 1.ª divisão, viveu momentos de pânico quando o autocarro em que seguia a comitiva [com jogadores, treinadores, dirigentes e outros acompanhantes] foi selvaticamente atacado por um grupo de arruaceiros.

A ocorrência nada teve a ver com o jogo que decorreu normalmente e sem casos, daí não se compreender porque razão aconteceu. O estado em que ficou o autocarro é bem elucidativo da gravidade da situação que originou diversos vidros partidos e algumas amolgadelas devido ao apedrejamento de que foi alvo.

Dos incidentes resultaram dois feridos entre os jogadores sendo um assistido pelo INEM no local e outro conduzido ao hospital.

Em declarações ao nosso jornal, o presidente do clube, Joaquim Belchior, repudia os acontecimentos e enaltece a atitude dos dirigentes do Desportivo Fabril pelo apoio prestado bem como o trabalho da força policial que não só respondeu prontamente à chamada como também deteve num curto espaço de tampo alguns elementos do grupo.

O que aconteceu concretamente?
Quando nada fazia prever, Depois do jogo ter terminado e depois de termos estado a confraternizar com os dirigentes do Desportivo Fabril, os jogadores vieram normalmente para o autocarro quando a cerca de 50 / 100 metros, e já com o autocarro em andamento, fomos apedrejados por um grupo de 7 / 8 elementos que partiram os vidros do autocarro que teve que parar. Eles fugiram mas pouco tempo depois voltaram a atacar. Valeu então a intervenção da polícia que foi exemplar. Em cerca de 10/15 minutos cercou a zona e apanhou logo de imediato dois indivíduos e ao que consta depois mais dois. O autocarro ficou danificado e dois jogadores ficaram feridos, sendo um deles sido assistido no local e o outro levado para o hospital. Isso deixa-me algo magoado porque o que se passou nada teve a ver com o desporto, nem com o futebol, nem com as pessoas do Fabril que foram incansáveis e estiveram sempre connosco em todos os momentos.  

Houve alguma razão que justificasse tal acontecimento?
De forma nenhuma, porque durante o jogo nada se passou. Tudo decorreu de forma normal e sem qualquer incidente.

E o Arrentela ficou com os prejuízos…
Exactamente. E com aquilo que há-de vir, com chamadas a tribunal. Mas o mais grave é que transportávamos 23 jogadores, todos eles menores. Como presidente, a acompanhar os jovens, fiquei em pânico mas tive que me acalmar. Tenho também que deixar uma palavra de apreço ao treinador Fernando Rocha que enfrentou praticamente sozinho o grupo na segunda vez que atacou. Só quando ouviram as sirenes da polícia dispersaram.

Quais foram os danos causados?
Para além dos feridos, o autocarro ficou com três vidros partidos do lado esquerdo e um do lado direito tendo uma das pedras atravessado o autocarro de um lado ao outro.

E o Arrentela apresentou queixa?
Sim apresentámos queixa na PSP do Barreiro que está afazer as diligências normais. De qualquer forma quero deixar uma palavra de apreço à equipa técnica e aos jogadores do Arrentela, bem como ao presidente e ao director do Desportivo Fabril que estiveram sempre connosco até ao último momento.

O caso que foi alvo de notícia na imprensa nacional também mereceu a atenção da SIC que transmitiu uma reportagem no Jornal da Noite.  

EDUARDO SANTOS»» Estágio na Liga Espanhola

Durante uma semana...

Treinador em Málaga para reforçar e actualizar conhecimentos

 Eduardo Santos, de 57 anos, treinador de futebol com Cédula Desportiva de III Grau (UEFA / Advanced), que treinou o Amora na 2.ª Divisão e o Seixal na 3.ª Divisão, para além do Arrentela e Paio Pires, vai estar durante uma semana em Málaga a estagiar junto da equipa sénior do clube que na passada semana foi ganhar a Barcelona e actualmente ocupa o 7.º lugar na Liga Espanhola.  

Eduardo Santos vai assim tomar contacto e adquirir conhecimentos sobre a forma como se trabalha numa das ligas mais competitivas da Europa, junto da equipa técnica comandada pelo técnico Javi Gracia.

Antes da partida para Espanha, o Jornal de Desporto falou com Eduardo Santos:


Eduardo Santos como surge esta oportunidade de deslocação a Málaga?
Esta deslocação tem como base o convite de um fornecedor / amigo dos meus estabelecimentos comerciais cuja sede da sua empresa se situa nos arredores de Málaga. Tendo ele conhecimento da minha formação como treinador de futebol e o grauda minha cédula desportiva  falou com um dos administradores que prontamente tratou da deslocação e assim se vai cumprir mais uma etapa de enriquecimento de conhecimentos. Como disse Lao-Tsé:  “Para ganhar conhecimento, adicione coisas todos os dias. Para ganhar sabedoria, elimine coisas todos os dias. Pouco conhecimento faz com que as pessoas se sintam orgulhosas. Muito conhecimento, que se sintam  humildes”. Quem gosta do que faz tem que estar na vanguarda, mesmo que esteja temporariamente sem desempenhar funções.

Mas, esta época de 2014/2015 começou como secretário técnico do Amora Futebol Clube. Como correu o desempenho dessa nova função?
Sim, comecei por desempenhar esse cargo no Amora Futebol Clube mas por questões de saúde bem graves de um familiar muito querido tornou-se incompatível  o desempenho dessas funções. Mais tarde recebi alguns convites para regressar ao activo como treinador principal de clubes da AF Lisboa e Setúbal mas a intervenção cirúrgica a que esse meu familiar se submeteu e ainda se irá sujeitar, condicionou a minha aceitação.

Há alguma perspectiva de voltar ao activo ainda esta época?
Quiçá, depende muito da intervenção cirúrgica desse meu familiar. Aguardamos para ver o desenvolvimento depois se decidirá. Sabe, a partir da próxima época desportiva (2015/2016) todo e qualquer  clube tem que ter treinadores formados com carteira e especializados em qualquer escalão de competição, o que obrigará os clubes e os seus dirigentes a terem um cuidado selectivo na escolha dos treinadores. Pois, já não poderá ser o dirigente, o amigo, o pai ou como dizemos na gíria uma pessoa de bem com muito boa vontade e pouco conhecimento / formação a estar à frente de qualquer das equipas. Assim se espera que os treinadores melhor apetrechados em termos de conhecimento, grau de cédula desportiva e prática venham agora a ter o devido reconhecimento e colocação. Para bem e bom funcionamento desta modalidade desportiva que tanto adoro. Um até já com os melhores objectivos no horizonte. 

2.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ALCACERENSE 1 PESCADORES 3

Treinador do Alcacerense responsabiliza o árbitro da partida…

JOGADOR HOSPITALIZADO APÓS AGRESSÃO DE UM ADVERSÁRIO

O Atlético Alcacerense [ao perder em casa com os Pescadores da Caparica] viu interrompida uma série de cinco jogos consecutivos a pontuar, com uma vitória e quatro empates [consecutivos] nas últimas jornadas.

Foi de facto uma série muito positiva da jovem equipa treinada por Sandro Mendes que se encontra ainda em fase de construção neste seu regresso ao futebol sénior depois de uma pequena paragem.

A vitória da equipa da Costa de Caparica não merece contestação porque foi superior ao seu adversário com golos marcados por Romário ainda na primeira parte (15’) e por Igor (50’) e Rafa (90’) no decorrer do segundo tempo. Pelo meio fica o golo do Alcacerense marcado aos 74 minutos por Henrique que acabou por marcar o encontro de forma negativa devido às ocorrências registadas que motivaram a interrupção do encontro por cerca de 15 minutos até chegar a ambulância para transportar ao hospital o jogador Sandro Farias (Alcacerense) que fora agredido por Roger (Pescadores) e ficara inanimado.

Este facto mereceu duras críticas do treinador do Alcacerense, Sandro Mendes, em relação à actuação do árbitro André Guerreiro que considera ter sido o principal causador do acontecido em virtude de ter permitido que a integridade física dos jogadores fosse colocada em causa por diversas vezes durante o jogo.

Depois da realização desta jornada o Atlético Alcacerense continua a ocupar o sexto lugar na tabela classificativa e os Pescadores da Caparica a primeira posição de parceria com o Paio Pires que será o seu adversário já na próxima jornada.

Domingo, em jogos a contar para a terceira jornada da segunda fase, o Alcacerense desloca-se a Santo André e os Pescadores recebem o Paio Pires na Costa de Caparica.



A OPINIÃO DOS TREINADORES:


SANDRO MENDES, treinador do Alcacerense:

“Árbitro permitiu que a integridade física dos jogadores fosse colocada em causa”

“Em primeiro lugar quero dar os parabéns aos Pescadores que ganharam bem. Mas, depois vou ter que fazer uma coisa que nunca fiz, falar da arbitragem e em especial do árbitro André Guerreiro que devia meter a mão na consciência e pensar se vale a pena andar no futebol da maneira como ele anda. Uma coisa é o Alcacerense andar a incomodar alguns clubes e a retirar pontos onde se calhar ninguém estava à espera mas outra coisa é retirar vidas humanas. À hora que estou a fazer este comentário tenho um atleta no hospital por causa deste senhor que nunca teve mau no jogo. Aos 74 minutos quando fizemos o nosso golo, os jogadores foram buscar a bola ao fundo da baliza para que o jogo pudesse recomeçar mais rápido contra a vontade dos jogadores contrários, numa situação que considero normal, só que depois há uma agressão como nunca tinha visto em toda a minha vida desportiva mesmo a outro nível, tal foi a gravidade da situação. Como disse o Sandro está hospitalizado, felizmente parece que já está livre de perigo, mas foi uma agressão bárbara que originou a interrupção do jogo durante algum tempo até que a ambulância chegasse. Isto não é forma de estar no futebol e esse senhor, André Guerreiro, [que foi muito bem auxiliado] deve meter a mão na consciência porque permitiu que a integridade física dos jogadores fosse colocada em causa por diversas vezes durante o jogo”.


JORGE AMARAL, treinador dos Pescadores:

“Vitória importante contra um adversário que não perdia há quatro jogos”

“O Costa de Caparica entrou bem no jogo, foi uma equipa dominadora e criou várias oportunidades de golo que acabaram por resultar uma vez por volta dos quinze minutos. Depois houve alguma reacção do Alcacerense mas nós tivemos sempre o jogo controlado. A única oportunidade de golo do adversário aconteceu apenas no início da segunda parte. Ao intervalo fizemos a alteração de um jogador que já tinha amarelo porque o jogo estava renhido. Aumentámos para 2-0 logo no recomeço com um grande golo do Igor e depois fomos controlando até que surgiu o golo do adversário. Logo a seguir o jogo ficou parado devido à expulsão do Roger mas após o reatamento voltámos a controlar o jogo e num contra-ataque fizemos o 3-1, colocando assim alguma justiça no marcador. Para nós, foi uma vitória muito importante porque foi obtida contra um adversário que já não perdia há quatro jogos e que, para mim, é a equipa que mais evoluiu desde o início do campeonato. Fiquei muito satisfeito com o desempenho dos meus jogadores que conseguiram uma boa vitória”.


FICHA DO JOGO

Jogo no Campo Municipal, em Alcácer do Sal
ÁRBITRO: André Guerreiro, Núcleo do Barreiro

ALCACERENSE: Alex; Gregory (Bruno, 55’), Zé Figueira, Xavier, Matias; Carlos, Mosca, Nelson; Pedro (Sandro, 55’ e Gaio, 80’), Marcelo (Vítor, 40’) e Henrique.
TREINADOR: Sandro Mendes

PESCADORES: Hernâni; Benja, Roger, Palma, Fred; Forby (Edi, 45’), Bala, Carlos Carvalho; Igor, Romário (Rodrigo, 80’) e Semedo (Rafa, 15’).
TREINADOR: Jorge Amaral

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: 0-1, Romário (15’); 0-2, Igor (50’); 1-2, Henrique (74’); 1-3, Rafa (90’).
Disciplina: Roger foi expulso aos 75 minutos




2.ª DIVISÃO DISTRITAL»» MOITENSE 3 LAGAMEÇAS 0

Está apenas a quatro pontos dos dois primeiros…

Quinta vitória consecutiva coloca Moitense no terceiro lugar

O Moitense obteve perante o Lagameças a sua quinta vitória consecutiva no campeonato e em consequência disso está já no terceiro lugar da tabela classificativa com apenas menos quatro pontos que os dois da frente [Pescadores da Caparica e Paio Pires]. Está a ser de facto uma recuperação sensacional da equipa orientada por Nuno Paulino que acabou de ultrapassar o Vasco da Gama de Sines.

Nesta partida disputada com o Lagameças não ficaram quaisquer dúvidas quanto ao vencedor porque a equipa da Moita mesmo sem fazer um grande jogo foi sempre superior ao Lagameças. Os golos marcados cedo deram-lhe confiança e depois foi só gerir o resultado sem preocupações de maior porque o adversário também não incomodou.   

Diogo Ribeiro (7’) e Espada (30’) na primeira parte e Rebola (68’) na segunda, foram os marcadores de serviço do Moitense que está a causar alguma sensação pela posição que ocupa neste momento.

O Lagameças, que nunca teve argumentos para contrariar o seu adversário, somou mais uma derrota e por força das circunstâncias continua na última posição a transportar a tão indesejada lanterna vermelha, com apenas dois pontos.

Na próxima jornada o Lagameças desloca-se a Sines para defrontar o Vasco da Gama e o Moitense recebe no “Juncal Desportos” a Quinta do Conde numa partida que promete ser interessante devido à posição das equipas na tabela classificativa.



A OPINIÃO DOS TREINADORES

NUNO PAULINO, treinador do Moitense:


“Foi uma vitória tranquila porque entrámos bem no jogo e marcámos cedo”

“Foi uma vitória tranquila porque entrámos bem no jogo e marcámos cedo. Já tivemos jogos mais bem conseguidos em termos de intensidade, desequilíbrio e situações de golo. Mas, como conseguimos ser eficazes logo no início do jogo, depois acabámos por controlar bem a partida sem grandes sobressaltos. É verdade que tirámos um pouco o pé do acelerador na segunda parte depois de estarmos a ganhar por 2-0 mas também é verdade que o adversário não estava a incomodar muito. Mesmo assim, ainda conseguimos chegar ao 3-0. Foi uma vitória justa que não merece qualquer tipo de contestação”.




ANTÓNIO ESTRELA, treinador do Lagameças:

“Não estivemos bem e o resultado é completamente justo”

No final do jogo, o treinador António Estrela não estava nada satisfeito com o rendimento da sua equipa e reconheceu a superioridade do adversário, preferindo não se alongar muito na sua apreciação ao jogo: “A minha equipa não esteve bem. Este foi um jogo que correu demasiadamente mal. Como disse, não estivemos bem e o resultado é completamente justo. Não me queria alongar muito mais”.



FICHA DO JOGO

Jogo no Campo “Juncal Desportos”, na Moita
ÁRBITRO: Bruno Silva, Núcleo do Barreiro

MOITENSE: Gerson; Davidé, Espada, Amieiro, Parafuso; Sandro, Diogo Ribeiro (Tuga, 70’), Cláudio; Gonçalo (Márcio, 75’), Rebola (Rui, 70’) e Ricardo.
TREINADOR: Nuno Paulino

LAGAMEÇAS: Hélio Marques; Carapinha (Pilas, 82’), João Pinto (Dani, 75’), Cristóvão Rosado, André; Marcos Borralho, Tiago Curado, Ruben Balseiro (Pedro, 30’); Fábio Ferreira, Hugo Ramos e Bruno Barros (Codé, 73’).
TREINADOR: António Estrela

Ao intervalo: 2-0
Marcadores: 1-0, Diogo Ribeiro (7’); 2-0, Espada (30’); 3-0, Rebola (68’).




2.ª DIVISÃO DISTRITAL»» PAIO PIRES 2 V. GAMA 1

Equipa vascaína foi a primeira a marcar…

Paio Pires ganha com dois golos marcados por Djá de bola parada


O Paio Pires derrotou o Vasco da Gama por duas bolas a uma no jogo mais importante da segunda jornada da segunda fase do Campeonato Distrital da 2.ª Divisão e por essa razão continua a partilhar a liderança da competição com os Pescadores da Costa de Caparica com quatro pontos de avanço sobre o Moitense que é agora o terceiro classificado.

A equipa de Sines que sempre se assumiu como candidata não está de forma nenhuma a atravessar um bom momento e com a derrota sofrida caiu no quinto lugar da tabela classificativa estando nesta altura a seis pontos de distância dos dois da frente. Não é nada que não seja recuperável mas começa a ser já uma diferença considerável. O próximo jogo em casa com o Lagameças pode ser o ponto de viragem da equipa que já não sabe o que é ganhar há precisamente seis jornadas [nos últimos seis jogos tem quatro empates e duas derrotas].

Em Paio Pires quem começou melhor foi precisamente o Vasco da Gama que desperdiçou um penalti aos 12 minutos por João Nunes que atirou ao poste. Com a equipa da casa a não render o habitual foram exactamente os forasteiros a abrir o activo aos 20 minutos com um golo de Ricardo Ferreira. A reacção do Paio Pires não foi muito acentuada mas o empate acabou por acontecer ainda no decorrer da primeira parte na cobrança exemplar de um livre directo por Djá.

Na segunda parte o Paio Pires entrou melhor, aproveitando alguma intranquilidade do adversário, e acabou por se colocar em vantagem na conversão de uma grande penalidade, com Djá a bisar na partida. O V. Gama ficou reduzido a 10 jogadores por expulsão de Chalana mas apesar disso continuou à procura do golo que acabou por não acontecer embora tivesse algumas oportunidades para isso.

Na próxima jornada, como já se disse, o Vasco da Gama recebe o Lagameças e o Paio Pires desloca-se à Costa de Caparica para defrontar os Pescadores naquele que será o jogo mas importante da jornada.

   
A OPINIÃO DOS TREINADORES

CARLOS NEVES, treinador do Paio Pires:

“Tivemos a felicidade de vencer porque os jogadores fizeram por isso”

“Entrámos com o objectivo de fazer o nosso melhor mas a verdade é que a equipa até ao golo do Vasco da Gama esteve algo apática e menos forte do que tem sido habitual. Depois, começou a crescer, foi-se superando e conseguiu em determinados momentos superiorizar-se ao adversário e acabámos por chegar ao empate já perto do intervalo mas ainda com tempo para desperdiçarmos duas boas oportunidades que nos poderiam ter colocado em vantagem. Na segunda parte entrámos fortes, concentrados, organizados e na sequência de uma boa jogada de ataque conseguimos um penalti que nos permitiu chegar ao 2-1. Depois o V. Gama reagiu e acercou-se mais da nossa baliza mas nós nunca perdemos o controlo e sempre que podíamos saiamos em contra-ataque e até poderíamos ter aumentado para 3-1. Mas, acho que a vitória pela margem mínima é o que mais se adequa ao que se passou em campo. Um jogo forte e equilibrado em que tivemos a felicidade de vencer porque os jogadores fizeram por isso”.



FERNANDO CANDEIAS, treinador do Vasco da Gama:

“O resultado é extremamente injusto”

“Entrámos determinados a conquistar os três pontos, controladores e dominadores e aos 12 minutos desperdiçámos um penalti. Depois conseguimos aproveitar uma oportunidade e chegámos ao golo por volta dos vinte minutos. O adversário não se conseguia aproximar da nossa baliza e nós passado algum tempo tivemos um golo que parece mal invalidado pelo árbitro auxiliar, que nos poderia ter dado mais vantagem no marcador. A equipa não se deixou afectar por isso e continuou a controlar o jogo só que já muito perto do intervalo num livre directo o Paio Pires fez o empate praticamente na primeira vez que chegou à nossa baliza. Como não estamos a viver um momento de grande confiança mostramo-nos algo intranquilos no primeiro quarto de hora da segunda parte e acabámos por cometer um penalti que deu o segundo golo ao Paio Pires. Depois, mesmo reduzidos a 10 jogadores continuámos a lutar na tentativa de inverter o resultado mas a sorte não quis nada connosco porque foram bolas na trave, no poste e grandes defesas do guarda-redes. O resultado é extremamente injusto. Com a derrota ficámos numa situação mais difícil mas com a atitude, a determinação e com qualidade de jogo demonstrada sentimos que temos capacidade para dar a volta à situação. Não vamos baixar os braços”.

  

FICHA DO JOGO
 
Jogo no Campo Vale d’Abelha, em Paio Pires
ÁRBITRO: Pedro Almeida, Núcleo de Almada / Seixal

PAIO PIRES: Damas; Neves Sidney, 10’), Iuri (Miguel, 65’), Caldeira, Tiago Rosa; Fernando, Filipe Pinto, Flávio Costa (João Vasco, 85’); Adilson, Djá e Bruno César.
TREINADOR: Carlos Neves

VASCO DA GAMA: José Manuel; Flávio Alexandre, Valdir, João Nunes, Miguel Garinho (Chalana, 20’); João Guedes, Paulo Duarte, Nídio; Ricardo Ferreira, Pedro Alves (Ruben Soares, 85’) e Márcio Madeira.
TREINADOR: Fernando Candeias

Ao intervalo: 1-1
Marcadores: 0-1, Ricardo Ferreira (20’); 1-1, Djá (40’); 2-1, Djá (59’) gp.

Disciplina: Chalana foi expulso aos 59 minutos

2.ª DIVISÃO DISTRITAL»» ADQC 11 SANTO ANDRÉ 0

Canina fez um hat-trick…

Goleada começou a ser desenhada logo no primeiro minuto


Com uma exibição forte, consistente e muito bem conseguida os pupilos de Manuel Pinéu obtiveram perante o Estrela de Santo André o resultado mais dilatado dos jogos até agora disputados relativos ao Campeonato Distrital da 2.ª Divisão.

Com um desnível tão acentuado em termos de resultado pouco haverá para dizer sobre o jogo cuja história se resume praticamente aos golos que começaram a surgir logo no primeiro minuto com Amândio Ramião, o seu melhor marcador, a abrir o activo. Aos sete minutos foi a vez do ex-barreirense, Canina, fazer o gosto ao pé. E, aos 14 minutos estava feito o 3-0 com novo golo de Amândio Ramião. A ADQC sempre balanceada no ataque até ao intervalo ainda voltou a marcar por duas vezes, numa delas beneficiando de um autogolo (38’) e na outra com um golo de Afonso Caeiro que fechou a contagem na primeira parte, aos 44 minutos.  

Na segunda parte tudo continuou na mesma e os golos continuaram a surgir com perfeita naturalidade. Canina e Samuel, em ambos os casos por duas vezes, Maurício e Artur foram os marcadores de serviço neste período do jogo.

O Estrela de Santo André com a derrota sofrida manteve a sua posição no sétimo lugar da tabela classificativa e a ADQC com a vitória obtida subiu ao quarto lugar com 15 pontos, mais um que o Vasco da Gama de Sines que baixou para o quinto lugar e menos um que o Moitense que é actualmente o terceiro classificado.

Na próxima jornada o Estrela de Santo André recebe o Alcacerense e a ADQC desloca-se à Moita para um jogo que promete.



A OPINIÃO DOS TREINADORES:

MANUEL PINÉU, treinador da ADQC:

“Ficámos satisfeitos pelos três pontos e pelo compromisso demonstrado”

“Jogo em que do primeiro ao último minuto foi feita uma abordagem séria e muito consistente por todos. Fruto disso, chegámos ao intervalo a ganhar por uma vantagem confortável de 5-0. Na segunda parte pelo respeito que mantivemos sempre pelo jogo e pelo adversário fizemos mais seis golos. Ficámos acima de tudo satisfeitos pelos três pontos e pelo compromisso hoje aqui demonstrado. Como nota de destaque será de salientar o hat-trick feito pelo Canina".



JOAQUIM SEZÕES, treinador do Estrela de Santo André:

“Se não forem tomadas medidas isto pode voltar a acontecer”

“Em primeiro lugar quero dar os parabéns à equipa adversária porque jogou muito bem e soube aproveitar os erros que cometemos. Pouco mais há a dizer sobre um jogo que terminou com um resultado tão dilatado. Com todas as situações inerentes que não deveriam ter acontecido surgir isto. Não podemos culpar mais ninguém, nem sequer a equipa de arbitragem. Há que reflectir sobre o que se passou. Os resultados vinham a camuflar algumas coisas boas e outras menos boas. Portanto, se não forem tomadas medidas isto pode voltar a acontecer. Vou falar com o presidente porque se calhar não vale a pena continuar assim”.


FICHA DO JOGO
 
Jogo no Campo António Xavier de Lima, na Quinta do Conde
ÁRBITRO: Diogo Trancadas, Núcleo do Pinhal Novo

ADQC: 
Rui Jubita; Rodri (Júnior, 68’), Giló, Cláudio, Samuel; Vasco Botelho (David, 76’), Márcio, Afonso Caeiro (Pedro Gomes, 71’); Barbosa (Artur, 45’), Canina e Amândio Ramião (Maurício, 45’)
TREINADOR: Manuel Pinéu

SANTO ANDRÉ: Coreixas; Alexandre (Elson, 55’), Palhas, Malaquias e Kifo; Vítor; Pratas, Ruben; Wilson, Pernas (Hugo Almeida, 70’) e André Fernandes.
TREINADOR: Joaquim Sezões

Ao intervalo: 5-0
Marcadores: 1-0, Amândio Ramião (1’); 2-0, Canina (7’); 3-0, Amândio Ramião (14’); 4-0, auto-golo (38’); 5-0, Afonso Caeiro (44’); 6-0, Maurício (56’); 7-0, Artur (62’); 8-0, Samuel (68’); 9-0, Canina (70’); 10-0, Canina (74’); 11-0, Samuel (84’).
Disciplina: Lee (guarda-redes suplente, no banco) e Wilson foram expulsos, o primeiro com vermelho directo e o segundo por acumulação de amarelos, aos 3’ e 65’ respectivamente.






Conf. de Imprensa e Resumos de Jogos

Copyright © 2015 JORNAL DE DESPORTO ™ Designed by Templateism . Hosted on Blogger Platform.